17 Raparigas estreia a 17 de Maio

Nos inícios de 2008, a pequena cidade piscatória de Gloucester, Massachusetts, nos EUA, foi sobressaltada com a notícia de que 17 raparigas de 15/16 anos haviam engravidado ao mesmo tempo.

Não se tratava de um acidente ou de uma coincidência, mas sim de uma decisão deliberada. Haviam firmado um pacto de gravidez! Naturalmente que imediatamente surgiu na comunidade um intenso debate acerca das politicas locais sobre educação sexual e contracepção.

Passados alguns anos, Delphine e Muriel Coulin, duas irmãs francesas, com alguma experiência em curtas metragens, documentários e televisão, decidem transpor este caso para a sua terra natal, Lorient, na Bretanha, França, naquilo que se tornaria a sua primeira longa-metragem.

Poderão as vidas daquelas 17 raparigas ser tão insatisfatórias, marcadas pelo tédio e pelo dever de obediência, que possam alterar-se totalmente com a experiência da maternidade?
E o que têm a dizer os pais e os professores perante esta “epidemia”? O que poderão eles fazer?
São estas as questões a que as realizadoras tentam responder e para as quais formulam hipóteses assaz convincentes, conseguindo simultaneamente traçar um perturbante retrato da adolescência.
Adoptando o ponto de vista das jovens, as realizadoras evitam lições de moral, mas desenvolvem um discurso cheio de nuances e de subtilezas onde podemos encontrar o seu próprio olhar sobre este estranho caso: a concretização de uma fantasia não permite sempre saciar um desejo.

E é este o filme que a Zero em Comportamento (através da Projectos Paralelos) leva agora para os cinemas portugueses. E com ele procurará trazer ao debate sobre o estado da Maternidade na Adolescência em Portugal. 11 anos após o referendo que permitiu às mulheres interromperem a gravidez, quantas adolescentes continuam a levar a sua gestação até ao fim? Qual a evolução da IVG? Quais as políticas/acções de educação sexual em prática nas escolas portuguesas? Qual o papel das escolas, dos pais na educação sexual dos seus alunos e filhos? Mas também nos interessa discutir a questão da adolescência dos dias de hoje. A pressão do grupo, os comportamentos de risco, o bullying, as redes sociais, etc.
O filme tem data de estreia marcada para 17 de Maio no Cinema City Alvalade e n’ O Cinema da Villa, em Cascais, sendo que se prevê que possa circular por todo o país.

Para mais informações clique aqui.